quinta-feira, abril 24, 2008

Hoje só hoje, o tempo foge-nos das mãos
As horas passam desvairadas
Segundos que não perduram em nós
Recordações do que fomos…

Nesta noite de luar
Com corpos suados
Dos rostos alegres, gritantes
Sofridos do passado…

Acreditando somente que hoje,
Hoje o tempo reservou-se para nós
Infindavelmente nosso,
Só nosso hoje, só nosso o tempo…

2 Comentários:

Anonymous Bia disse...

E quando esse 'hoje' chega, no tempo real ou nas nossas recordações, que o abraçamos desesperadamente querendo reter tudo aquilo de bom e bonito que se marcou na nossa memória e que nos chega novamente nos braços da saudade. Tempo, ah o tempo, marcando os sentimentos com a inexorabilidade do seu passar...

Imagem e versos que marcam, falam, e calam fundo na nossa alma, amiga querida!

Deixo-te sorrisos, pétalas e beijos enfeitando as horas do teu dia.

29 abril, 2008 19:57  
Blogger João Filipe Ferreira disse...

lindo, adorei:)
parabens
ps: participa em www.luso-poemas.net

07 maio, 2008 12:25  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial